Alta da gasolina terá pouco impacto na inflação

O anúncio da Petrobras Distribuidora de que reajustará o preço da gasolina em 1,5% nesta sexta-feira em função da alta do preço do álcool em 19% surpreendeu especialistas consultados pela Agência Estado, mas eles disseram que o impacto sobre a inflação será pequeno.Segundo cálculos do coordenador do IPC-Fipe, Paulo Picchetti, o reajuste deve provocar um repasse de 0,01 ponto porcentual sobre o índice da fundação, que, em julho, apresentou alta de 0,59%. Para ele, a concorrência deve diluir parte do aumento. O que mais preocupa Picchetti, no entanto, é a defasagem de preços comercializados no Brasil e no Exterior, que, segundo especialistas, chega a ser de 20%. No caso do Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo Dieese, o impacto do reajuste da gasolina deverá ser de 0,07 ponto porcentual. O repasse do aumento do álcool sobre o ICV deve ser de 0,08 ponto porcentual, segundo coordenadora do índice, Cornélia Nogueira Porto. Assim, o ICV de agosto já "nasceria" com uma alta de 0,15 ponto porcentual. "Não contava com este aumento agora, mas ainda a ssim não vou alterar a previsão para o fechamento do mês, de 0,60%", afirmou.Analistas do mercado financeiro consultados calcularam que, no IPCA, a contribuição da elevação dos preços do álcool e da gasolina será de 0,10 ponto porcentual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.