Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Alta da inflação na Alemanha surpreende

Preços ao consumidor superam projeções de analistas e sobem 1% em dezembro, resultado superior ao acumulado nos oito meses anteriores

, O Estado de S.Paulo

30 de dezembro de 2010 | 00h00

Os preços ao consumidor na Alemanha subiram mais em dezembro do que nos oito meses anteriores juntos, de acordo com uma estimativa preliminar divulgada ontem pelo Escritório Federal de Estatísticas (Destatis).

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) avançou 1% em dezembro, em relação a novembro, e 1,7%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O resultado superou as projeções dos analistas, que esperavam uma expansão de 0,8% no mês e de 1,5% em bases anuais.

De acordo com a metodologia usada pela Eurostat, o aumento do CPI na Alemanha foi ainda mais acentuado: 1,2% no mês e 1,9% em termos anuais.

O Destatis afirmou que, segundo sua estimativa preliminar, a inflação na Alemanha em todo o ano de 2010 deverá ser, em média, de 1,1%.

Portugal planeja emitir entre 18 bilhões e 20 bilhões em bônus do governo em 2011, informou o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) ao divulgar as previsões de seu plano de financiamento para o próximo ano.

A necessidade de financiamento do governo central de Portugal, a ser atendida com a emissão bruta de instrumentos da dívida de longo e médio prazos e financiamento líquido de curto prazo, deve totalizar cerca de 20 bilhões , afirmou comunicado do IGCP.

Mercados otimistas. Os mercados europeus operaram ontem em alta, com sessões positivas na Ásia e nos mercados futuros em Wall Street, ajudando a reforçar a confiança na região.

O barril de petróleo acima de US$ 91 favoreceu o desempenho das ações das petroleiras, enquanto as montadoras se recuperaram de parte das fortes perdas dos últimos dias.

Embora os volumes sejam baixos, os participantes do mercado continuaram empurrando os preços para cima, na expectativa de que 2011 será um ano com perspectivas positivas para os mercados de ações, disse Angus Campbell, chefe de vendas da corretora Capital Spreads.

O Deutsche Bank também espera um 2011 positivo para as ações. Os analistas do banco projetam retorno total de 20% para o índice Stoxx Europe 600.

Campbel, por sua vez, alertou que a crise da dívida soberana da Europa deve continuar em 2011, sugerindo que os mercados esperam que Portugal precisará de um socorro no início do ano e que há dúvidas em relação à Espanha, cujos bancos e governo terão de rolar grandes volumes de dívida no primeiro semestre de 2011.

Nos mercados de câmbio, o euro era negociado em US$ 1,3119, de US$ 1,3117 na tarde de ontem em Nova York. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.