Alta da inflação preocupa governo argentino

Embora não admita claramente, a inflação voltou a ser motivo de preocupação para o governo argentino. Uma fonte da Casa Rosada disse à Agência Estado que "o presidente Kirchner tem acompanhado atentamente a alta dos preços e o governo está preparado para agir".Conforme projeções dos bancos Río e BBVA Francês para janeiro, a inflação pode chegar a 1%, a maior dos últimos dois anos. No primeiro trimestre do ano, a inflação acumulada poderia chegar a 3%, o que obrigaria o Banco Central a ajustar sua política monetária para cumprir a meta anual de inflação de entre 5 a 8%. O economista do Banco Río, Juan Pablo Carrera, afirma que "o Executivo está preocupado com o atual nível dos preços registrados nos últimos meses".Segundo ele, "todos os índices de preços da economia se aceleraram de forma importante durante 2004". Já o economista Ernesto Gaba, chefe da equipe do Francês, afirma que a alta de 0,8% da inflação em dezembro "não significa uma escalada de preços preocupante". Porém, ele alerta que a dinâmica dos preços dependerá das medidas que o Banco Central adotará para retomar o controle monetário.Para o BBVA, o aumento do índice de preços ao consumidor será puxado pelos aumentos das tarifas dos táxis, planos de saúde e cigarros e pelo verão, já que a demanda pelos produtos vinculados ao lazer e à alimentação, provocam alta dos preços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.