Alta da Selic inviabiliza solução para desemprego, diz CUT

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) avaliou como inadmissível a política de juros adotada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), reafirmada hoje com elevação da Selic, a taxa básica de juros da economia de 16,25% para 16,75%. Esta receita conservadora, segundo a instituição, continuará a inibir o crescimento econômico, tornando cada vez mais distantes as possibilidades de solução para o problema do desemprego."É inaceitável que a autoridade monetária trabalhe em sintonia com a especulação financeira e à revelia das expectativas de todos os demais segmentos da sociedade brasileira", disse o comunicado da instituição, assinado pelo seu presidente, Luiz Marinho.A Central reiterou também que o controle da inflação precisa ser garantido por meio do choque de produção, o que só será, segundo a CUT, alcançado com juros menores e o fomento do crédito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.