finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Alta de 0,9% do varejo é a maior para meses de agosto

O crescimento das vendas do varejo restrito no mês de agosto ante julho, de 0,9%, foi o maior para este mês desde 2010, quando o avanço havia sido de 2,4%. Apesar disso, a expansão foi menos intensa do que a registrada na passagem de junho para julho (2,1%).

IDIANA TOMAZELL, Agencia Estado

15 de outubro de 2013 | 10h13

A técnica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Aleciana Gusmão, destacou, no entanto, o fato de os dados ainda estarem no campo positivo. Ela lembrou ainda que as vendas do mês de agosto foram influenciadas pela comemoração do Dia dos Pais.

12 meses

O crescimento do varejo restrito em 12 meses, de 5,1% até agosto, é a menor taxa observada nesse tipo de comparação desde outubro de 2010, quando a variação foi de 5,0%. Em janeiro deste ano, a taxa 12 meses era de 8,28%. "A atividade do comércio varejista, em relação ao ano passado, está mais arrefecida ao olhar essa taxa", observou o gerente da Coordenação de Serviços e Comércios, Reinaldo Pereira.

"O varejo, atualmente, cresce a taxas decrescentes", acrescentou. Para ele, apesar da desaceleração da inflação ter trazido um impulso para as vendas no comércio, essa queda na atividade é reflexo do retrato da economia como um todo.

Tudo o que sabemos sobre:
varejovendasIBGEagostomeses

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.