Alta de juros pode inibir investimentos, diz presidente da CNI

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, afirmou que a manutenção da política de aumento gradual da taxa básica de juros pelo Banco central pode comprometer os investimentos das empresas em 2005. Segundo o empresário, que participou da reunião do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI) nesta terça-feira, as oscilações nas taxas básicas de juros podem comprometer a demanda por produtos na economia o que afetaria os programas de investimentos para o próximo ano. Monteiro lembrou que, na sondagem feita pela CNI, a incerteza com relação a evolução da demanda foi o principal fator indicado pelos empresários como inibidor dos investimentos em 2005. "Acho que isso pode comprometer, dependendo se for confirmada esta tendência de elevação dos juros", disse o presidente da CNI. Monteiro Neto comentou ainda que um dos destaques apurados na sondagem é a motivação dos empresários em investir no próximo ano. Além disso, o empresário acredita que a sondagem revela que não há tantos gargalos na indústria como se estimava no início do processo de retomada do crescimento econômico do País. Apesar de 18,6% das grandes empresas ouvidas na pesquisa indicarem que a atual capacidade de produção não está adequada para atender a demanda por produtos em 2005, ainda assim o conjunto de todas as companhias ouvidas pela CNI mostra que não haverá desequilíbrio entre a oferta e a demanda por produtos. "Vamos ultrapassar perfeitamente o pico de demanda que acontece neste mês de outubro sem que haja problemas sérios de desequilíbrio entre oferta e demanda. Olhando o conjunto dos setores não há risco de pressões provocadas por este tipo de desequilibro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.