Alta de milho e soja prejudica indústria de alimentos

O aumento de custos de matérias-primas, especialmente de grãos como milho e soja, impediu um crescimento maior da indústria de produtos alimentícios em 2008. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse setor registrou uma expansão acumulada de 2,6% de janeiro a novembro do ano passado, abaixo da média de 6,0% da indústria em geral. Em novembro, houve recuo de 1,9% no setor ante outubro.O coordenador do departamento de economia e estatística da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), Denis Ribeiro, disse que o setor registrou um aumento médio de custos de 24% em 2007 ante o ano anterior, puxado pela alta de matérias-primas como milho e soja e, ainda, pelos reajustes em embalagens.Segundo ele, a indústria de alimentos adquiriu a soja a preços 53% mais caros no ano passado do que em 2006, enquanto o trigo aumentou 25% e o milho, 26%. Ribeiro explica que esses reajustes não impediram a expansão do setor porque a demanda interna estava aquecida, especialmente como resultado do crescimento do emprego e da renda.Os dados da Abia coincidem com os do IBGE no que diz respeito à variação da produção física em novembro ante outubro, mas apontam um aumento acumulado de janeiro a novembro um pouco superior (3,8%) do que o calculado pelo instituto.Segundo Ribeiro, o recuo na produção em novembro ante outubro não compromete a tendência de crescimento do setor, mas pode sim refletir o aumento de preços dos alimentos apurado no ano passado. Segundo a inflação medida pelo IPCA, os produtos alimentícios acumularam, no varejo, um aumento de preços de 8,55% de janeiro a novembro, bem superior à inflação média do período (3,69%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.