finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Alta do álcool chega a 14,7% em SP em um mês

O motorista brasileiro pode preparar o bolso: está aberta a temporada de alta no preço do álcool combustível. O produto já subiu 30% desde a mínima do ano nas usinas de São Paulo e a tendência, segundo analistas, é de que a alta continue nos próximos meses, em razão do período de entressafra na produção de cana-de-açúcar. Segundo projeção da consultoria Datagro, o preço nas usinas paulistas deve chegar a R$ 0,85 nos primeiros meses de 2008, o que representaria um aumento de quase 50% com relação à mínima deste ano.Os repasses às bombas já começaram, embora em ritmo inferior à escalada dos preços nas usinas. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o litro do álcool hidratado nos postos brasileiros acumula alta de 8,8%, em média, no último mês. Em São Paulo, o aumento é maior, de 14,7%, já que a proximidade com as usinas e a maior rotatividade dos estoques fazem com que os novos preços cheguem mais rápido ao mercado. Mesmo com a alta, o álcool ainda é mais vantajoso do que a gasolina em todos os Estados das regiões Sudeste e Centro Oeste. Segundo os dados da ANP, apenas no Amapá, Pará, Piauí, Roraima e Sergipe o preço do álcool ultrapassou o limite de 70% do preço da gasolina, quando passa a valer a pena optar pelo derivado do petróleo. Nos Estados do Norte, porém, tal situação é recorrente durante o ano, devido à maior distância das usinas de cana. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.