Free Images
Free Images

Alta do dólar já afeta gastos de brasileiros no exterior, aponta BC

Gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 2,12 bi em outubro, queda de 7,4% em relação ao mesmo período do ano passado

O Estado de S. Paulo

24 de novembro de 2014 | 10h54

A alta do dólar em relação ao real já tem afetado a ida de brasileiros ao exterior. Segundo dados do Banco Central, os brasileiros gastaram US$ 2,124 bilhões em viagens internacionais, uma queda de 7,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em contrapartida, os estrangeiros deixaram no Brasil US$ 488 milhões. Com isso, a conta de viagens internacionais (receitas menos despesas) registrou um déficit de US$ 1,637 bilhão em outubro.

O saldo negativo foi menor do que o visto em outubro de 2013, de US$ 1,760 bilhão. No acumulado do ano até o mês passado, o déficit da conta de viagens soma US$ 15,850 bilhões ante US$ 15,367 bilhões vistos em igual período de 2013.  

Dólar. Em outubro, mês de referência dos dados divulgados nesta segunda-feira, 24, o dólar comercial atingiu a máxima de R$ 2,56. Em novembro, a máxima foi de R$ 2,6280. O dólar turismo, utilizado em viagens ao exterior, geralmente é cotado na faixa de R$ 0,10 a R$ 0,15 acima do dólar comercial.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, já havia salientado no mês passado a moderação nas despesas de viagens, apesar de essa conta ainda registrar crescimento. Para ele, os gastos dos brasileiros no exterior devem diminuir nos próximos meses: "Nos últimos três meses o dólar variou 15% e isso tende a afetar as viagens internacionais", disse. A parcial de novembro do BC indica que esse ritmo de moderação deve ter continuidade. 

Até 20 de novembro, o déficit no saldo das viagens internacionais soma US$ 840 milhões, com receitas de US$ 323 milhões e despesas de US$ 1,162 bilhão. "Fazendo uma projeção linear, indicaria novo recuo, de 7%, na despesa líquida de viagens contra novembro de 2013", afirmou. (Com informações da Agência Estado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.