Alta do dólar pode elevar preço de eletroeletrônicos

Os produtos eletroeletrônicos poderão sofrer aumentos em seus preços por causa da alta do dólar. A previsão é do presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Paulo Saab. Os aumentos refletiriam o impacto da variação cambial sobre os custos de insumos internacionais no setor. O dólar ultrapassou a barreira dos R$ 3 na semana passada e, hoje, chegou a ser cotado a R$ 3,30. Paulo Saab destaca que, dependendo da linha de produtos, o repasse dos custos pode ser maior no preço final ao consumidor. Ele cita como exemplo produtos como TVs acima de 29 polegadas, que possuem circuitos internos importados. "Nestes aparelhos, 85% da composição do produto depende da importação de matéria-prima. Nestes produtos nossa margem de lucro está praticamente a zero", avisa. Ele explica que, no caso dos televisores de 14 a 20 polegadas, o impacto deve ser menor, pois a maior parte da sua composição é de matéria-prima nacional. Outros produtos mais sensíveis à disparada do dólar são DVDs e videocassetes, segundo o presidente da Eletros. "Esses produtos também possuem grade parte da sua composição de sistemas e circuitos importados", alerta. Os números do primeiro semestre de 2002 ainda não foram fechados, mas Paulo Saab informa que no ano passado o setor teve uma elevação de 12% nos custos devido à variação cambial.O presidente da Eletros explica que o aumento dos preços dos eletroeletrônicos vai depender de dois fatores: a negociação com o varejo e a aceitação do mercado. "O momento é ruim. Estamos em negociação permanente com o varejo para ajustar nossos custos e o preço final ao consumidor. Estamos trabalhando com uma margem de lucro aquém da nossa necessidade", explica Paulo Saab.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.