Alta do dólar provoca queda nas viagens internacionais

A disparada do dólar está provocando a queda na procura de pacotes de viagens internacionais. De acordo o presidente a Associação Brasileira de Agência de Viagens em São Paulo (Abav-SP), Amauri Caldeira, a grande variação cambial está retraindo a procura por viagens internacionais. Em contrapartida, a venda de pacotes de viagens nacionais está crescendo. Segundo a Abav, em 2002 a procura por viagens doméstica subiu entre 10% e 15%, em relação ao ano passado.O presidente da Abav destaca que, além da alta do dólar, a queda na procura pelas viagens internacionais ainda tem reflexos dos atentados terroristas de 11 de setembro. "O mercado ainda esta sofrendo os abalos dos atentados terroristas e está tentando se enquadram nesta retração pela procura de viagens internacionais desde o final do ano passado. A alta da variação cambial assusta", explica. Ele destaca que, depois dos atentados nos Estados Unidos, a procura por pacotes para o exterior chegou a cair cerca de 70% no final do ano passado.Este cenário provocou uma elevação na procura das viagens domésticas, segundo o presidente da Abav-SP. Ele destaca que em 1996, que 70% dos turistas brasileiros procuravam por pacotes de viagens para o exterior e 30% para viagens domésticas. Atualmente, esse quadro se inverteu e 70% dos turistas procuram por pacotes de viagens nacionais.Amauri Caldeira ressalta que, além da alta do dólar estimular as pessoas a procurar mais os destinos nacionais na hora de viajar, a infra-estrutura do turismo brasileiro melhorou bastante nos últimos anos. "É lógico que a lata do dólar ajuda a procura por pacotes domésticos. Porém, o setor de turismo brasileiro apresenta atualmente uma série de bons produtos", avalia. Ele destaca a construção de novos hotéis, resorts, parque temáticos, a melhora de algumas estradas, a criação de novos destinos e produtos e a construção e reforma de aeroportos.Reajuste das passagensO presidente da Abav acredita que a alta das passagens aéreas nacionais possa alterar os preços dos pacotes turísticos. "O mercado deve sofrer um pouco o impacto, mas as agências vão tentar negociar descontos com as companhias aéreas pra evitar o repasse ao consumidor", explica. Ele avisa que o preço dos pacotes já sofreram neste o impacto da alta dos preços dos serviços e tarifas e tiveram reajuste entre 10% e 12%As passagens aéreas das companhias brasileiras sofreram um reajuste médio de 16%. As empresas anunciaram que o reajuste das tarifas e conseqüência do aumento do preço do querosene da aviação. A Varig aumentou suas passagens em 16,03% e as empresas TAM, Vasp e Gol adotaram o reajuste de 16%.No caso dos pacotes turísticos internacionais, o único efeito na tarifa é a variação cambialO presidente da Abav-SP lembra que muitas companhias aéreas internacionais estavam cobrando tarifas promocionais na alta temporada para atrair turistas. "Mesmo assim ocorreu uma queda na procura, pois a alta do dólar assustou muitos turistas que preferem esperar para viajar em outro período", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.