Alta do dólar segue consistente

O destaque dado pelos jornais à possibilidade de ser fechado um acordo entre o Brasil e o Fundo Monetário Internacional (FMI) não está sendo suficiente para acalmar o mercado na manhã de hoje. A cotação do dólar e os juros futuros seguem em alta. Já a bolsa, que mantinha ligeira alta, opera em queda. Os jornais de hoje já tentam antecipar possíveis detalhes do acordo com o FMI, que poderia envolver recursos entre US$ 10 bi e US$ 20 bilhões. Ontem à tarde, rumores de que o acordo seria iminente ajudaram a aliviar a tensão dos negócios, levando o dólar a fechar pouco abaixo de R$ 3,00. Mas hoje o efeito dos boatos é menor. Às 10h46, o dólar comercial para venda estava sendo cotado a R$ 3,0250, em alta de 1% em relação ao fechamento de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 23,650% ao ano, frente a 22,300% ao ano negociados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrava queda de 0,42%.Um operador observou que, a rigor, estes rumores são uma reedição de comentários já feitos quando se noticiou que a diretora do Fundo, Anne Krueger, viria ao Brasil. "O mercado só vai se acalmar quando o acordo for confirmado, e isto ainda dependendo dos rumos de Nova York", disse a fonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.