Alta do dólar trava indústria, afirma diretor da Fiesp

O diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Roberto Faldini, afirmou hoje que alguns setores industriais estão parando devido à alta do dólar, que segura os investimentos e desestimula o consumo. Ele cobrou uma posição mais firme do governo na intenção de conter a escalada da moeda norte-americana e amenizar os problemas dos setores industriais.Faldini afirmou que, entre os citados está o setor de bens de capital e argumentou que as máquinas e equipamentos só são vendidas quando há investimento na produção. "Está todo mundo perplexo com a situação e o pessoal ainda está fazendo cálculos. Imaginamos que isso possa ser revertido, desde que o governo consiga conter o dólar. No momento, há uma parada geral, até porque ninguém sabe como a situação vai evoluir", afirmou.Segundo ele, o consumidor está com medo de comprar e a demanda está caindo ainda mais. Sobre demissões na indústria, Faldini afirmou que elas já aconteciam antes do agravamento da crise cambial. "Mas certamente vão piorar se a crise perdurar e houver uma paralisação mais forte das vendas", disse.

Agencia Estado,

31 de julho de 2002 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.