Alta do emprego industrial em 2005 deve ser a maior da série histórica

O economista da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Paulo Mol disse hoje que o crescimento do emprego industrial, este ano, deve ser o maior de toda a série histórica, iniciada pela Confederação em 1992. Segundo ele, se houver estabilidade no número de empregos na indústria de transformação, o indicador deve registrar uma alta de 4,3% em relação a 2004. O último recorde foi justamente no ano passado, quando o emprego industrial cresceu 3,5% em relação a 2003. Paulo Mol avaliou que o emprego deve manter-se estável durante todo o segundo semestre deste ano, perdendo o fôlego que marcou 2004 e o início de 2005. "O emprego cresceu muito em um ano e meio, e agora deve se manter mais estável no segundo semestre, sem grandes oscilações entre mo número de pessoas contratadas e demitidas na indústria", afirmou. Massa salarial no 1º semestre Ele destacou que houve um aumento da massa salarial na indústria no primeiro semestre. Segundo ele, a queda da inflação elevou o poder de compra dos salários, o que explica a trajetória de alta da massa salarial real. Segundo dados divulgados hoje pela CNI, desde o início de 2003 os salários reais pagos pela indústria cresceram 20%. "O que mais influencia os salários é o deflator (INPC) que tem mostrado uma trajetória bastante favorável nos últimos meses e tem proporcionado uma recomposição salarial", afirmou Castelo Branco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.