Alta do petróleo leva Continental a reduzir vôos

A Continental Airlines entrou para a lista das companhias aéreas dos EUA que, ante a alta do petróleo, anunciaram redução da capacidade e cortes de pessoal. A empresa pretende demitir 3 mil funcionários e o total de partidas domésticas no quarto trimestre será 16% menor do que o do mesmo período de 2007. United Airlines e American Airlines já adotaram medidas semelhantes.A redução dos vôos da Continental, que começará em setembro, resultará em 11% de redução da capacidade da companhia. O presidente do conselho de administração da empresa, Larry Kellner, e o presidente executivo, Jeff Smisek, informaram que vão reduzir seus salários pelo restante do ano e abrir mão do bônus de incentivo. Em comunicado aos funcionários da empresa, os executivos informaram que os cortes de pessoal serão realizados tanto por meio de demissão voluntária como não voluntária. A Continental tem mais de 45 mil empregados.Com a redução dos vôos, a Continental vai acelerar a retirada de circulação dos Boeings 737-300 e 737-500. Seis aviões deixaram de operar no primeiro semestre e outros 67 serão aposentados. A maior parte da redução da frota neste ano será feita em setembro. Até o final do ano, a Continental deixará de voar com os 737-300, os modelos que mais consomem combustível na aviação.As informações são da Dow Jones.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

05 de junho de 2008 | 11h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.