Alta do petróleo pode ter efeitos no Brasil

Os últimos números da inflação no Brasil revelam que o Brasil deve cumprir com folga a meta estabelecida com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Até maio desse ano, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), definido pela Fipe, acumula uma alta de 0,69%. Para o ano, a meta com o FMI é de 6% para o IPCA (IBGE).De acordo com Heron do Carmo, coordenador do IPC, mesmo que o custo do petróleo aumente, não será suficiente para que a meta não seja cumprida. "Para cada 10% de aumento no preço do petróleo, o IPC sobe 0,25%. A expectativa para o aumento do barril do óleo não é tão grande assim", explica.Marcelo Cypriano, economista do BankBoston, considera que o efeito sobre a inflação do Brasil não é apenas direto. A pressão inflacionária pode ser gerada por uma desvalorização do real frente ao dólar. Isso aconteceria caso o aumento do preço do petróleo provocasse um aumento das taxas de juros nos Estados Unidos, com o objetivo de conter a inflação lá. O Brasil perderia muitos investimentos, que migrariam para os Estados Unidos para aplicar em ativos sem risco e com rendimento atraente - os títulos públicos norte-americanos.Outro efeito é que, com o câmbio desvalorizado, os preços dos produtos importados aumentam, a produção brasileira também encarece e eleva a inflação no País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.