Alta do petróleo puxa cotações da Petrobras

Os fundos de ações da Petrobras seguem acumulando rendimento expressivo. Na semana passada, os papéis da estatal subiram com força, por conta da alta dos preços do petróleo. Segundo números da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), os fundos com recursos do FGTS acumulam, até quarta-feira, rendimento médio de 64,44%. Os fundos com recursos próprios, por sua vez, têm rentabilidade de 65,66%. Como na sexta-feira as ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobras subiram 2,10%, cotadas por R$ 57,70, o rendimento das aplicações vai aumentar mais.O analista de Investimentos da corretora Fator Doria Atherino, Fernando Oliveira, entende que, no curto prazo, o desempenho das ações da Petrobras vai ficar atrelado ao comportamento dos preços do petróleo. Ele diz que, nos próximos seis meses, o produto deve continuar cotado em níveis elevados, por conta da forte demanda, que tende a intensificar-se durante o inverno no Hemisfério Norte. Depois, a tendência é que os preços do petróleo recuem. Segundo Oliveira, a perspectiva de valorização do papel para os próximos meses não é das maiores. De agosto para cá, o papel subiu com força. As ações de telecomunicações tendem a render mais daqui para a frente, pois caíram bastante nas últimas semanas. Ele estima que o papel pode atingir R$ 66,40 em seis meses, o que indica uma perspectiva de valorização de 15,07% em relação ao fechamento de sexta-feira.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2000 | 08h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.