Alta do PIB da zona do euro no 1o tri é revisada para baixo

A economia da zona do euro cresceu noprimeiro trimestre com menos força do que se calculava, deacordo com dados divulgados nesta quarta-feira que aumentaram apreocupação com a saúde econômica da região. O Produto Interno Bruto (PIB) nos 15 países que usam o euroaumentou 0,7 por cento, afirmou o departamento oficial deestatísticas Eurostat, revisando o cálculo anterior de expansãode 0,8 por cento. O PIB da região cresceu 2,1 por cento em termos anuais,contra 2,2 por cento estimado em junho. "Ainda que o crescimento do PIB da zona do euro no primeirotrimestre tenha sido revisado ligeiramente para baixo, eleainda impressiona", disse Howard Archer, economista-chefe doGlobal Insight. "No entanto, está claro que a performance foi inflada poruma série de fatores e superestima a força da economia." Mesmo assim, a revisão inesperada foi outro sinal de que azona do euro está sendo afetada pela crise de crédito e peladesaceleração dos Estados Unidos após os problemas no mercadosubprime (financiamento imobiliário de alto risco). A alta doeuro e a queda da demanda dos consumidores em meio ao aumentoda inflação também enfraquecem a economia da região. A economia vai sentir o impacto completo desses fatores nosegundo trimestre, disseram analistas. "Estimo uma queda de 0,2 por cento do PIB ante o trimestreanterior, primeira baixa desde o o primeiro trimestre de 1996",disse Juergen Michels, economista do Citigroup. "Isso é por causa da turbulência do mercado financeiro, mastambém reflete que a alta do euro tem algum impacto sobre aatividade na região, além do impacto da alta dos preços deenergia sobre a demanda doméstica." O Eurostat revisou para cima em 0,1 ponto percentual ocrescimento do quarto trimestre de 2007 --para 0,4 por centoante o trimestre anterior e para 2,2 por cento em termosanuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.