Alta dos alimentos ameaça destruir progresso na África

O aumento dos preços globais dos alimentos ameaça destruir anos de progresso econômico na África e deixar 100 milhões de pessoas em situação de pobreza, afirmou hoje o Painel de Progresso da África. Segundo o painel, é provável que os países ricos não cumpram a promessa de destinar bilhões de dólares ao continente até 2010."A África fez progressos substanciais nos últimos anos", disse o ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, que preside o painel. "No entanto, a crise atual dos alimentos ameaça reverter muitos dos ganhos conquistados", acrescentou."Com 100 milhões de pessoas à beira de ingressarem em situação de pobreza, o custo dos alimentos não será medido em termos de preços do trigo e do arroz, e sim no número crescente de mortes de crianças na África." As informações são das agências de notícias internacionais.

DEISE VIEIRA, Agencia Estado

16 de junho de 2008 | 10h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.