Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Alta dos juros do BB não reduz expansão do crédito, diz Caixa

Segundo jornal, taxas do Banco do Brasil para operações com pessoas físicas estão em elevação há um mês

Adriana Chiarini, da Agência Estado,

19 de maio de 2009 | 11h46

A presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Maria Fernanda Ramos Coelho, afirmou esta terça-feira, 19, que as taxas de juros médias do Banco do Brasil (BB) indicaram alta pois a instituição pode ter optado por reduzir os juros em algumas modalidades e subir em outros tipos de operações.

 

Segundo ela, os bancos públicos têm atuado para expandir o crédito e contribuir para a superação da crise, "em um momento de retração de crédito por parte dos bancos privados", e informou que a Caixa reduziu os juros cinco vezes desde o início do ano. Maria Fernanda ressaltou que a instituição vai continuar reduzindo o spread e baixando os juros.

 

Reportagem publicada pelo jornal O Globo nesta terça-feira afirma que as taxas de juros praticadas pelo BB nas quatro principais operações para pessoas físicas - cheque especial, crédito pessoal, aquisição de bens e aquisição de imóveis - registram altas semanais desde o dia 15 de abril. O levantamento toma como base o acompanhamento diário realizado pelo Banco Central dos juros praticados no mercado.

 

O governo nomeou em 8 de abril Aldemir Bendine para a presidência da instituição pois o presidente Lula estaria insatisfeito com a lentidão da queda dos juros praticados pelo banco.

 

Feirão de imóveis

 

A presidente da CEF disse também que os cinco feirões de imóveis organizados pelo banco no último final de semana, nas cidades de Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador Belo Horizonte e Uberlândia, fecharam mais de vinte mil contratos, no valor de R$ 1,8 bilhão. Para ela, os resultados dos feirões foram "extraordinários, incomparáveis".

 

No ano a Caixa realizou 207 mil contratos de habitação, com valor de cerca de R$ 10 bilhões, volume 100% maior do que o mesmo período do ano passado. Em relação ao programa "Minha Casa, Minha Vida", Coelho disse que a fase atual ainda é de prospecção de empresas.

Tudo o que sabemos sobre:
CEFhabitaçãofinanciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.