Alta dos juros é preocupante e freará consumo, diz Abdib

A Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib) considera "preocupante a escalada da taxa Selic". Na noite de ontem, o Copom elevou em 0,50 pp a taxa básica que subiu para 18,25% ao ano. Em nota, o presidente da entidade, Paulo Godoy, disse que "os efeitos são conhecidos: mais freio no consumo e na tomada de crédito que impulsionam empresas de bens e serviços em geral". Segundo a entidade, as diversas medidas para combate à inflação, já sugeridas exaustivamente pelas muitas entidades representativas do setor produtivo, "são cabíveis e possíveis, mas, no entanto, têm sido ignoradas com veemência, sem justificativa". "As autoridades monetárias precisam ter um plano de médio prazo, com medidas alternativas, para controlar indícios inflacionários, sem que isso cause tanta insatisfação e indecisão junto aos consumidores e às empresas em geral", disse o presidente da Abdib.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.