Alta dos juros no crédito era esperada, diz BC

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse que os juros do crédito vêm subindo de forma gradativa nos últimos meses, mas que essa alta já era esperada.

EDUARDO CUCOLO E CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 12h29

E culpou a greve dos bancários, que começou na segunda quinzena do mês, por parte das altas verificadas no custo dos empréstimos, justificando que a greve teria dificultado a ida dos consumidores até as agências.

Em relação à alta dos spreads, Maciel explicou que ela reflete muito mais os custos dos bancos na tomada de recursos no mercado. Em setembro, o aumento de juros decorreu exclusivamente do aumento no custo de captação dos bancos e não do spread." , disse.

Em relação à inadimplência, as modalidades que chamavam mais a atenção e eram fator de preocupação estão melhores, em especial a inadimplência de aquisição de veículos. "A melhora reflete a continuidade de crescimento da renda das famílias. O rendimento médio continuou aumentando, denota capacidade de pagamento.

A greve dos bancários foi mais uma vez usada pelo diretor do BC para explicar o crescimento do saldo de crédito no mês de setembro, que, em sua avaliação, poderia ter sido melhor não fosse a paralisação dos funcionários dos bancos. "O saldo geralmente cresce um pouco mais em setembro, pois geralmente está mais associado às atividades de final de ano", considerou.

Tudo o que sabemos sobre:
créditoBCsetembroTúlio Maciel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.