Alta dos produtos agrícolas eleva prévia da inflação do aluguel

Prévia semanal do IGP-M mostra alta de 0,42% nos preços devido a encarecimento dos alimentos no atacado

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

10 de fevereiro de 2009 | 08h21

A primeira prévia semanal do IGP-M, índice usado para reajustar a maioria dos aluguéis, mostra uma aceleração da inflação influenciada pela alta de produtos agrícolas no atacado. O índice divulgado nesta terça-feira, 10, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)ficou em 0,42% contra queda de 0,31% na primeira semana de janeiro. Os preços dos produtos agrícolas no atacado subiram 1,49%, após apresentarem queda de 0,78% no mesmo período do mês passado. Veja também: Entenda os principais índicesSegundo a FGV, na avaliação de preços por produtos, as altas mais expressivas no atacado foram registradas em soja em grão (7,01%); açúcar cristal (20,13%); e farelo de soja (17,05%). Já as mais expressivas quedas foram apuradas em mandioca - aipim (-11,33%); intermediários para resinas e fibras (-20,79%); e arroz em casca (-4,18%). Os preços dos produtos agrícolas no atacado subiram 1,49% na primeira prévia do IGP-M de fevereiro, após apresentarem queda de 0,78% em igual prévia do mesmo indicador em janeiro. A informação foi anunciada há pouco pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A FGV informou ainda que os preços dos produtos industriais no atacado tiveram avanço de 0,12% na primeira prévia de fevereiro, após registrarem queda de 0,48% no período correspondente de janeiro.A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem a primeira prévia do IGP-M de fevereiro. O IPA teve alta de 0,49% na prévia anunciada hoje, ante deflação de 0,56% na primeira prévia de janeiro. Por sua vez, o IPC subiu 0,21% na primeira prévia de fevereiro, em comparação com o avanço de 0,24% em igual prévia do mesmo índice em janeiro. Já o INCC teve alta de 0,43% na primeira prévia de fevereiro, após subir 0,13% na primeira prévia de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIGP-MFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.