Alta dos títulos da dívida do Brasil indica confiança, diz governo

A valorização dos títulos da dívida externa do Brasil, os C-Bonds, de outubro do ano passado até o início deste mês é considerada pelo governo como um sinal de que os investidores internacionais estão mais confiantes na economia do País, apesar de um cenário externo mais conturbado, em decorrência da possibilidade de guerra entre os Estados Unidos e o Iraque. A conclusão faz parte de um estudo elaborado por técnicos da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda.No trabalho, divulgado na noite desta quinta-feira, os técnicos avaliam que a recuperação do C-Bond ocorreu dentro de um cenário internacional em deterioração. O gráfico incluído no estudo mostra uma grande oscilação no preço do papel ao longo dos últimos meses, mas sempre com uma tendência de recuperação de preço.Há, entretanto, uma pequena queda no valor do título negociado no final de janeiro. Os técnicos frisam que essa queda já foi revertida nas operações realizadas no início de fevereiro. "É importante enfatizar que essa melhora das últimas semanas ocorreu em meio a um cenário internacional bastante conturbado, com queda das principais bolsas de valores no mundo e grande volatilidade nas taxas de câmbio das principais moedas internacionais", destacam os técnicos no documento.A divulgação do estudo reflete a preocupação do Ministério da Fazenda com a percepção dos investidores estrangeiros em relação à política econômica que vem sendo adotada pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva. No documento, os técnicos chamam atenção para o fato de que os C-Bonds tiveram uma queda importante no valor de negociação ao longo do segundo semestre de 2002, refletindo os "graves problemas" que a economia brasileira enfrentou no ano passado, que causaram uma crise de confiança sobre os "fundamentos econômicos" brasileiros.Por ser o principal título da dívida externa negociado no mercado internacional, os técnicos avaliam que quanto maior a confiança no País, maior o valor de negociação desse título no mercado secundário. "O comportamento dos títulos da dívida externa brasileira significa que apesar da piora do cenário internacional, em que os investidores tornam-se mais pessimistas sobre o futuro e como consequência os preços dos vários ativos tendem apresentar quedas, o C-Bond apresentou melhora, e este é um título cujo valor de mercado tende a refletir a crença média dos investidores sobre o futuro do Brasil", afirmam os técnicos no estudo.Neste ano, o C-Bond registrou uma valorização de 6,12%. Em um ano, no entanto, ele deve queda de 12,12%. Nesta quinta-feira, o título fechou em ligeira alta de 0,18%, cotado a 70,25 centavos de dólares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.