Reuters
Reuters

Inflação anual da Turquia chega a 78,62% em junho, maior nível desde 1998

Para economistas independentes, no entanto, número está subdimensionado, e alta de preços teria atingido 175,55% no período

AP

04 de julho de 2022 | 10h22

ISTAMBUL - A inflação anual da Turquia atingiu 78,62% em junho, o maior nível desde 1998, de acordo com dados oficiais divulgados nesta segunda-feira, 4. Segundo o Turkish Statistical Institute (TurkStat), no mês, os preços para o consumidor aumentaram 4,95%. 

Embora muitos países estejam  vendo o aumento dos preços ao consumidor, os críticos culpam as políticas econômicas do presidente Recep Tayyip Erdogan pelos problemas da Turquia. O líder turco insiste que os altos custos dos empréstimos causam inflação - uma posição que contradiz o pensamento econômico estabelecido - e defende a redução das taxas de juros para impulsionar o crescimento e as exportações

O Banco Central da Turquia cortou as taxas em 5 pontos porcentuais desde setembro, para 14%, antes de interromper os cortes em janeiro. A lira turca perdeu 44% de seu valor em relação ao dólar americano no ano passado.

A invasão da Ucrânia pela Rússia, que levou a um aumento nos preços do gás, petróleo e grãos, agravou a situação na Turquia, que é dependente de importações.

Os maiores aumentos de preços anuais ocorreram no setor de transportes, com 123,37%, seguido pelos preços de alimentos e bebidas não alcoólicas, com 93,93%, segundo dados oficiais.

Os números do TurkStat foram questionados por economistas, que alegam que a agência está sujeita a pressão política. As demissões e renúncias de altos funcionários do TurkStat nos últimos meses aumentaram as alegações de interferência do governo.

O Inflation Research Group, formado por economistas independentes, disse nesta segunda-feira que o verdadeiro nível de inflação anual da Turquia para junho foi de 175,55%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.