seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Alta no número de desempregados em janeiro é recorde

Foram fechadas 323 mil vagas, número de desocupados sobe 20,6% ante dezembro e soma 1,9 mi, diz IBGE

Jacqueline Farid, da Agência Estado, Agência Estado

20 de fevereiro de 2009 | 09h01

A taxa de desemprego no País subiu para 8,2% em janeiro, a mais alta desde abril do ano passado, informou nesta sexta-feira, 20, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número de desocupados somou 1,89 milhão, com aumento de 20,6% ante dezembro, mas manteve-se estável frente a janeiro de 2008. O número de trabalhadores com carteira assinada (9,5 milhões) caiu 1,3% em relação a dezembro e cresceu 4,5% na comparação anual.   Segundo o IBGE, a alta no mês passado ante mês anterior foi um recorde histórico na série da pesquisa mensal de emprego, iniciada em março de 2002. Em apenas um mês, foram contabilizados mais 323 mil desempregados nas seis principais regiões metropolitanas do País. "Nem na época da recessão de 2003 houve um aumento no número de desocupados dessa magnitude, foi um janeiro diferente, mais cruel, sem dúvida", observou o gerente da pesquisa, Cimar Azeredo.   Veja também: Janeiro tem 1ª perda de vagas formais em 10 anos São Paulo lidera fechamento de postos de trabalho, diz ministro Entenda o Fundo de Amparo ao Trabalhador Falta dinheiro no FAT para ampliar seguro-desemprego As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   O número de ocupados nas seis principais regiões metropolitanas do Pais ficou em 21,15 milhões em janeiro, com queda de 1,6% ante dezembro e aumento de 1,9% ante janeiro de 2008.  O rendimento médio real dos trabalhadores ficou em R$ 1.318,70 em janeiro, com variação de 2,2% ante dezembro e de 5,9% na comparação com janeiro de 2008.   De acordo com Azeredo, a taxa de desemprego em janeiro foi pressionada não apenas pela demissão dos temporários do comércio, mas também de empregados efetivos em vários setores. "Quando a economia vai bem, parte dos temporários contratados no fim do ano são efetivados. Se está estável, os temporários costumam ser dispensados, mas somente quando a economia vai mal são dispensados os temporários e também efetivos, como ocorreu agora", explicou.   Após dez anos com contratações no primeiro mês do ano, janeiro de 2009 registrou fechamento de 101.748 vagas de trabalho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na última quinta. Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o saldo do Caged é negativo, mas não segue "para a catástrofe anunciada". Ainda de acordo com os dados do emprego, São Paulo, Rio e Minas foram os Estados que mais fecharam vagas no mês passado.   As regiões Sudeste, Nordeste e Norte apresentaram redução no nível de emprego. No sudeste, o total de vagas fechadas foi de 85.739; no Nordeste, de 24.323; e no Norte, apesar do crescimento em Rondônia, foi de 9.569. No Sul e Centro-Oeste, houve aumento do total de vagas. No Sul, foram criados 10.797 postos de trabalho; e, no Centro-Oeste, 7.086.   (Com Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.