Altamir reforça que BC não está em débito com FMI

O chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes, afirmou nesta terça-feira que o governo não tem "nenhum débito" em relação à divulgação de dados macroeconômicos para o Fundo Monetário Internacional (FMI). No relatório sobre as crises cambiais da Indonésia (97/98), Coréia do Sul (97/98) e do Brasil (98/99), divulgado ontem pelo Independent Evaluation Office (IEO), os técnicos do Fundo criticam a "resistência" que teria ocorrido dentro do governo brasileiro, à época da crise, em divulgar informações sobre a economia do País. Segundo o chefe do Depec, o Brasil optou em aderir ao padrão de divulgação de dados utilizado por outros membros do FMI somente depois de uma consolidação dessas informações. "Aderimos em 2001, depois de termos todas as informações", disse Lopes. "Não existe nenhum débito nosso em relação à isso", completou. Relatório independente O chefe da missão do FMI que se encontra no Brasil, Jorge Marquez-Ruarte, evitou hoje fazer comentários sobre o relatório que aponta uma série de erros cometidos pelo Fundo em relação ao Brasil e que faz críticas ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Segundo apurou a repórter Adriana Fernandes, Ruarte disse, ao deixar o prédio do Ministério da Fazenda, que não poderia fazer comentários porque o órgão que elaborou o relatório é independente do Fundo. Trata-se de escritório independente de avaliação contratado pelo FMI para analisar ações do próprio Fundo; as opiniões do escritório não são necessariamente as mesmas do FMI.

Agencia Estado,

29 Julho 2003 | 15h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.