Altice fecha acordo com Oi para comprar a PT

Grupo francês anunciou ontem à noite que tem exclusividade para negociar aquisição; valor pode chegar a 7,4 bi

MARIANA SALLOWICZ /RIO , O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2014 | 02h00

O grupo francês Altice anunciou em comunicado, na noite de ontem, que fechou acordo de exclusividade com a Oi para a negociação dos ativos portugueses da Portugal Telecom (PT). O 'Broadcast', serviço em Tempo Real da Agência Estado, apurou que a validade é de 90 dias, período em que as empresas esperam chegar a um acordo final sobre o negócio.

Os fundos de investimentos Apax Partners e Bain Capital, juntos com a portuguesa Semapa, também tinham demonstrado interesse no negócio, formalizando uma proposta firme de 7,075 bilhões na última sexta-feira.

Inicialmente, a francesa ofereceu 7,025 bilhões para a Oi, e pagaria em duas parcelas de 400 milhões condicionadas a metas financeiras. Agora, o valor na mesa é de 7,4 bilhões, com 500 milhões que dependem também de algumas metas a serem determinadas.

De acordo com a Altice, a operação será financiada com dívida nova, mas também com caixa existente. Além disso, informou que a "transação exigirá aprovações societárias e estará sujeita a aprovações regulatórias que são padrão para uma operação desta natureza".

Na última sexta-feira, os Correios de Portugal (CTT) informaram que assinaram um memorando de entendimento com a Altice para potencializar sinergias com a Portugal Telecom. Os CTT não irão colocar recursos na proposta da Altice. Consolidação. O negócio é fundamental para o processo de consolidação do setor de telecomunicações no Brasil. A Oi quer levantar os recursos para financiar uma proposta para a Telecom Italia pela participação na TIM. A oferta será feita junto com América Móvil (controladora da Claro) e Telefónica (Vivo). Outra opção é reduzir o endividamento da Oi, atualmente em R$ 48 bilhões. Diante desse cenário, a tele brasileira tem pressa em fechar o negócio.

Um dos pontos que precisará ser equacionado é a questão regulatória. A Altice já possui duas empresas portuguesas, a Cabovisão e a Oni. De acordo com uma fonte próxima às negociações, a análise pelas autoridades regulatórias em Portugal pode levar até seis meses. O negócio não inclui a dívida de 897 milhões dado pela Rioforte, holding do Grupo Espírito Santo (GES), na PT.

Dívida. A dívida líquida da Oi está atualmente em torno de R$ 48 bilhões. Recentemente, o presidente da empresa de telefonia, Bayard Gontijo, descartou recorrer ao mercado de capitais para financiar a proposta pela TIM. "Vamos vender os ativos para isso, sem acessar o mercado de capitais", disse. Entre os ativos, citou as operações de Portugal e ativos no Brasil, como torres. A empresa tem aproximadamente mil torres para vender em 2015.

Mais conteúdo sobre:
OiPortugal Telecom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.