Aluguéis baratos têm melhor desempenho

Os aluguéis de casas e apartamentos populares em São Paulo têm registrado maior rentabilidade se comparados com as locações de imóveis de preços elevados. É o que revela pesquisa do Sindicato das Empresas de Imóveis Comercias e Residenciais de São Paulo (Secovi-SP), realizada mensalmente com cerca de 150 companhias de imóveis que operam na capital. No primeiro mês do ano, os imóveis de 1 ou 2 dormitórios registraram valorização de cerca de 3,5%, em relação a dezembro de 2000. Para as casas e apartamentos de 3 quartos, esse índice foi de 0,7%. A pesquisa revelou ainda que 41% das empresas detectaram aumento no volume de negócios fechados, principalmente no setor de casas. "O condomínio continua sendo um inibidor no momento de se fechar o contrato", analisa o vice-presidente de Locação do Sindicato, Sergio Lembi. Em virtude desse fator, os aluguéis de apartamentos permaneceram estáveis em relação ao mês anterior. Desde a implantação do Plano Real, em julho de 1994, o valor dos aluguéis de imóveis populares não apresentou grandes variações, enquanto os aluguéis mais caros sofriam novas desvalorizações a cada crise. Só agora os imóveis considerados de classe média estão retomando os antigos preços. Os imóveis mais baratos demonstram ainda outra vantagem: permanecem menos tempo vazios. Em 2000, casas e apartamentos disponíveis para aluguel em São Paulo ficaram em média 2,9 meses ociosos, esperando interessados. O total de imóveis parados cresceu de acordo com o valor do aluguel: 21,5% das unidades com valor até R$ 300,00 mensais e 27,5% para aluguéis com preços superiores a R$ 750,00. Do total de apartamentos colocados para locação, cerca de 29% estão vazios. Segundo o diretor de locação do Secovi, Aimoré Freitas, um imóvel cujo aluguel vale até R$ 450,00 fica em média um mês até ser alugado. "Há uma procura muito grande por casas e apartamentos de dois dormitórios, quase não se acha imóvel desse tipo para alugar", comenta o diretor. Em 2000, 66% das procuras por locação concentraram-se nos aluguéis com preços inferiores a R$ 450,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.