Alugueis de escritórios na China e Brasil subirão em 2011

Alugueis de escritórios de primeira linha em importantes cidades chinesas e brasileiras continuarão em forte crescimento em 2011, de acordo com uma pesquisa, levando investidores globais a procurarem oportunidades nestes mercados emergentes.

REUTERS

31 de janeiro de 2011 | 08h35

Um relatório da consultoria imobiliária Cushman & Wakefield mostrou que alugueis de escritórios de primeira linha no distrito de negócios de Hong Kong cresceram 50 por cento no último ano, seguido por Pequim com avanço de 48 por cento e Rio de Janeiro, com 47 por cento.

Os alugueis deste tipo de escritório no mundo subiram, em média, 1 por cento, depois de uma queda de 11 por cento em 2009, resultado da forte demanda por conta do aumento das atividades de negócios, mostrou a pesquisa.

"Com a feroz concorrência entre inquilinos para um número limitado em escritórios de primeira linha em Honk Kong, é esperado que alugueis de escritórios classe A no distrito comercial cresçam de 20 a 25 por cento pelos próximos 12 meses", disse John Siu, diretor-executivo da companhia em Hong Kong.

Um porta-voz da companhia disse à Reuters que alugueis de escritórios de primeira linha em Pequim e no Rio de Janeiro devem continuar crescendo em 2011, embora de forma um pouco mais lenta.

A economia chinesa deve crescer 9,3 por cento em 2011, enquanto no Brasil o avanço deve ficar entre 4,5 por cento e 5 por cento neste ano.

A Pramerica Real Estate Investors, unidade da norte-americana, informou na semana passada que seus alvos comerciais eram China e Brasil, com dois novos empreendimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
CONSTRUCAOESCRITORIOSPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.