Aluguéis novos caem em São Paulo

Inquilinos que firmaram contratos de locação residencial no mês passado, na cidade de São Paulo, vão pagar aluguéis mais baixos que os locatários de contratos fechados em agosto. A redução média no valor da locação foi de 0,4%, segundo pesquisa do Secovi-SP (sindicato da habitação) com base em dados fornecidos por administradoras e imobiliárias.Os aluguéis que tiveram queda média maior, de 1%, encontram-se nas regiões leste e centro. Os imóveis de três quartos tiveram redução pouco maior (0,9%) que os de dois dormitórios (0,3%). As unidades de um quarto foram locadas por preços semelhantes aos de agosto. Geralmente, comenta o vice-presidente de Locação do sindicato, Sergio Luiz Abrantes Lembi, o mercado de locação acompanha a economia do País. "É o que observamos na capital. Como a própria economia vem apresentando estabilidade, os valores têm sofrido poucos solavancos", diz. "Esse quadro vem se repetindo desde o início da pesquisa, no ano passado", comenta. Enquanto o valor dos aluguéis novos cai, quem tem contrato de locação antigo com reajuste marcado para outubro (pagamento em novembro) vai arcar com aumentos diferentes, que vão de 7% a 15,06%, conforme o índice contratual. Confira os porcentuais de correção: pelo IPC da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o reajuste será de 7,41%; pelo IGP e IGP-M da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 14,37% e 15,06%, respectivamente; pelo INPC e IPCA do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 7% e 7,77%, pela ordem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.