Aluguéis permanecem estáveis em São Paulo

O aluguel de setembro, medido pelo Índice Periódico de Valores Médios dos Aluguéis Residenciais (Ipevemar), da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios (AABIC) de São Paulo, mostrou estabilidade, com variação mínima de positiva de 0,83% de agosto contra a negativa de 0,02% de setembro. De acordo com a AABIC, os aluguéis mostraram-se favoráveis aos locatários em relação à inflação. Em agosto, o Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) ficou em 2,32% e em setembro, chegou a 2,4%. O número de ofertas também cresceu em quase toda a cidade de São Paulo, permitindo uma amostragem de pesquisa mais ampla, que passou de 3.615 para 3.783 imóveis. A grande exceção na queda de aluguéis foram casas de dois e três dormitórios, com aumentos expressivos de 3,37% e 7,73%, respectivamente. A pesquisa do Ipevemar revelou, ainda, que os três setores da cidade com maior número de ofertas compreenderam bairros onde predominam o uso residencial de alto padrão e residencial comercial de médio padrão. O Ipevemar abrange, em sua pesquisa, imóveis com valor máximo de aluguel até R$7 mil e exclui os chamados imóveis globais, isto é, mobiliados, semi-mobiliados e os que incluem, no valor do aluguel, os custos do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e condomínio.O número de ofertas de imóveis para alugar também tem mantido relativa estabilidade. Mês a mês, as variações têm sido em torno dos 5%, para mais ou para menos. A previsão de ofertas do período setembro-outubro fica na casa dos 44.500 imóveis disponíveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.