finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Aluguel residencial sobe 1,7% em agosto, diz Secovi-SP

No acumulado em 12 meses, os valores dos alugueis nos contratos novos cresceram 9,9%, acima da inflação

Circe Bonatelli, Agência Estado

17 de setembro de 2013 | 12h28

SÃO PAULO - O aluguel de imóveis residenciais na capital paulista subiu 1,7% em agosto na comparação com julho, de acordo com pesquisa divulgada há pouco pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), que considera os valores dos contratos novos de locação fechados no mês.

No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em agosto, os valores dos alugueis nos contratos novos cresceram 9,9%, patamar acima ao da inflação medida pelo IPCA, que registrou alta de 6,09% no mesmo período.

O levantamento mostrou que os imóveis que tiveram maior aumento mensal em agosto foram os de um dormitório, com elevação de 2,0%. Os valores das unidades de dois dormitórios tiveram aumentos médios de 1,6%, enquanto as residências de três quartos tiveram altas menores, de 1,4%.

A modalidade de garantia locatícia mais utilizada nos contratos de aluguel foi o fiador, usado em 47,5% das moradias locadas. Outro instrumento jurídico garantidor muito demandado foi o depósito de até três meses de aluguel, responsável por 33% dos imóveis alugados. O seguro-fiança foi utilizado em aproximadamente 20% das residências locadas.

Os imóveis alugados mais rapidamente foram as casas, comercializadas num período médio entre 14 e 33 dias. Os apartamentos variaram de 19 e 38 dias, em média.

Tudo o que sabemos sobre:
aluguel residencialSecovi-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.