finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Aluguel residencial sobe em média 0,8%

Inquilinos que assinaram contrato de locação residencial no mês passado, na cidade de São Paulo, vão pagar aluguéis mais caros do que os que fizeram a mudança em março. O aumento médio foi de 0,8%, segundo pesquisa do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) em 150 empresas de locação de imóveis. No ano, os valores locatícios acumulam alta de 1,4%.Mas a alta não foi generalizada em todas as partes da cidade. No mês passado, os valores locatícios de casas e apartamentos situados nas regiões centro e oeste apresentaram quedas de 0,7% e 0,4%, respectivamente, enquanto as unidades localizadas nas demais regiões geográficas tiveram aumento de 1%. Os imóveis de 3 dormitórios tiveram os maiores acréscimos, em torno de 2%; os de 1 dormitório, 0,4%; e os de 2 quartos, 0,2%. Nos imóveis bem conservados, houve valorização de 0,9% nos preços dos aluguéis e, nos com estado de conservação regular, os valores ficaram praticamente estabilizados.Na análise do vice-presidente da área de Locação do Secovi-SP, Sergio Lembi, "esse aumento é resultado do período de renovação de contratos, que acontece principalmente nos primeiros meses do ano e é mais notado em abril, quando as negociações já estão concretizadas". Lembi acrescenta que a tendência é de estabilização, com leve alta.Ainda de acordo com a pesquisa do Secovi-SP, nos imóveis alugados no mês passado, o aluguel mais barato foi de R$ 195, por uma unidade de um dormitório, em estado de conservação regular, sem garagem, situada na região leste-3, que engloba os bairros de Itaim Paulista, Guaianazes, Cidade Tiradentes, Parque do Carmo, São Mateus, Iguatemi. O mais caro, de R$ 987, foi o de uma unidade de 3 dormitórios, em bom estado de conservação, vaga na garagem, situada na região sul 3, onde ficam os bairros de Cerqueira Cesar, Jardins, Ibirapuera, Morumbi, Vila Nova Conceição, Itaim Bibi e Moema.

Agencia Estado,

14 de maio de 2001 | 08h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.