Aluguel residencial sobe mais que inflação

O valor médio de locação residencial encerrou abril com alta acumulada de 1,3% no ano na capital paulista. No mesmo período, o IGP-M da Fundação Getúlio Vargas atingiu 1,07%. O desempenho indica pequena desaceleração no ritmo de reajuste, já que, no primeiro quadrimestre de 2001, os aluguéis subiram 1,4%. Nos últimos 12 meses (maio de 2001 a abril de 2002), a alta acumulada ficou em 3%, abaixo dos 8,92% do IGP-M.Em abril, os aluguéis ficaram praticamente estáveis, com pequeno aumento de 0,1%. A taxa é 0,7 ponto percentual menor que o 0,8% registrado no mesmo mês de 2001, mas contrasta com a queda de 0,3% no preço médio apurada no mês retrasado. Segundo o Sindicato da Habitação (Secovi-SP), os imóveis de um dormitório sofreram alta de 0,5%, enquanto as unidades de dois dormitórios ficaram mais baratas e as de três dormitórios mantiveram-se estáveis.VelocidadeA pesquisa, realizada com 140 imobiliárias, apurou também o Índice de Velocidade de Locação (IVL). As casas demoraram, em média, 43 dias para serem locadas em abril, enquanto os apartamentos esperaram 53 dias. Unidades em bom estado de conservação permaneceram vazias por 45 dias. Nos casos de imóveis mal conservados, o tempo é maior.Segundo o vice-presidente de Locação do Secovi-SP, Sergio Luiz Abrantes Lembi, os dados demonstram que os proprietários estão mais preocupados com a manutenção de seus imóveis. Lembi lembrou que a maioria dos imóveis da cidade tem entre 20 e 30 anos de existência, o que ressalta a necessidade de cuidados.A pesquisa também apurou que 37% dos entrevistados locaram mais imóveis em abril, sobre março. O segmento de casas foi o mais demandado. Em termos regionais, os negócios permaneceram estáveis nas zonas Sul, Oeste e Centro; caíram na zona Norte e aumentaram na zona Leste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.