Amadeo diz que Alca light é um risco para o País

O ex-ministro do Trabalho e ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda Edward Amadeo afirmou que a criação de "uma Área de Livre Comércio das Américas (Alca) light, mais flexível será um grave risco para o Brasil", principalmente porque esta estrutura pode gerar uma proliferação de acordos bilaterais e não serão o melhor resultado para o País. "Isto pode fazer com que as tarifas de importação, que já estão assimétricas, fiquem ainda mais caóticas. Isso, certamente, fará com que as decisões de novos investimentos não sejam muito favoráveis para a economia brasileira", afirmou Amadeo, que participou de um debate sobre relações comerciais durante o 1º Fórum Europeu, promovido pela Eurocâmara. Amadeo acredita ainda que uma Alca com acordos únicos para os 34 países seria mais promissora para o País do que esta tendência flexível, parece estar surgindo em Miami, onde está ocorrendo uma reunião ministerial. Finalmente Amadeo disse que a integração continental por meio do Mercosul não deve acontecer em detrimento do crescimento do comércio do Brasil com outras regiões.

Agencia Estado,

19 de novembro de 2003 | 12h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.