Economus/Divulgação
Economus/Divulgação

Amauri Aguiar de Vasconcelos deve presidir BB Seguridade

Executivo foi diretor superintendente do fundo de pensão Economus, do antigo banco Nossa Caixa; troca ocorre em meio a dança das cadeiras após a chegada de Fausto Ribeiro para presidir o Banco do Brasil

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2021 | 21h34

 A BB Seguridade, holding de seguros do Banco do Brasil, deve ter seu comando trocado em breve, apurou o Estadão/Broadcast. O nome mais cotado para assumir a cadeira é o de Amauri Aguiar de Vasconcelos, ex-diretor superintendente do Economus, fundo de pensão do antigo Nossa Caixa, adquirido pelo banco público, no passado, de acordo com duas fontes.

Caso seu nome seja confirmado, irá substituir o atual presidente da BB Seguridade, Marcio Hamilton, que, por sua vez, deve assumir uma cadeira na diretoria da bandeira de cartões Elo, possivelmente a de Controle, afirma uma das fontes. O Estadão/Broadcast já havia antecipado sua ida para a empresa, uma sociedade de BB, Bradesco e Caixa. Antes, a expectativa era de que ele ocupasse uma vice-presidência na Elo. No entanto, o martelo final dependia de aval dos sócios.

A mudança na presidência da BB Seguridade já era esperada na esteira da troca da alta cúpula no banco público após a chegada de Fausto Ribeiro para chefiar o conglomerado, substituindo André Brandão, que renunciou ao cargo após desgaste com o Planalto. Ocorre ainda em meio a rumores de pressão política do Centrão por cargos em empresas estatais no governo de Jair Bolsonaro como o BB, por exemplo.

Outro posto que deve ter um novo chefe no curto prazo é o comando do fundo de pensão dos funcionários do banco, a Previ, considerado o segundo mais importante cargo do BB. Na semana passada, o atual presidente, José Maurício Coelho, renunciou ao cargo e passará o bastão no dia 14 de junho. Seu mandato se encerraria apenas em maio do ano que vem.

Conforme antecipou o Estadão/Broadcast, na última sexta-feira, dia 28, o presidente da Economus, Daniel Stieler, deve ser indicado para chefiar a Previ. Seu nome já teria recebido sinal verde da Casa Civil, faltando, ainda, outras aprovações como, por exemplo, da Previc, que regula o setor de previdência complementar fechada.

No caso da BB Seguridade, o nome de Vasconcelos chamou a atenção. Ele foi diretor do Economus, de onde saiu em janeiro. Desde então, não ocupava um cargo relevante no conglomerado, onde ingressou em 1987. 

Para uns, há chances de alguma relação política na sua indicação. No passado, Vasconcelos era próximo do senador cearense Cid Gomes (PDT), diz uma fonte. Ele já tocou, inclusive, a superintendência estadual do BB, no Ceará, em 2017. “Vasconcelos pode ter se movimentado e encontrado outro padrinho”, sugere outra fonte.

Tanto a presidência da Previ quanto a da BB Seguridade são indicadas pelo presidente do Banco do Brasil. 

Apesar dos rumores de pressão política, Ribeiro, que assumiu o posto mais alto do banco público em abril, tem reforçado a aliados o que prometeu ao mercado, de que seu quadro será técnico. 

Nos bastidores, as trocas têm gerado comentários entre os funcionários do banco. Para um, que prefere falar na condição de anonimato, Ribeiro também tem reconhecido quem lhe estendeu a mão no passado. Antes de assumir a presidência do BB, ele tocava o negócio de consórcios do banco.

Procurado, o BB não se manifestou.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.