Amazon lança versão mais barata do Kindle

Por US$ 139, Kindle Wi-Fi quer competir com e-readers da Sony e da [br]Barnes & Noble, além de combater a preferência do consumidor pelo iPad

Ana Freitas, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2010 | 00h00

A Amazon lançou uma versão mais barata e sem fio de seu e-reader, o Kindle. A empresa aposta no novo preço - US$ 139 - para aumentar a demanda pelo aparelho e melhorar suas chances na guerra de preços de e-readers, nas quais entram os leitores de livros eletrônicos da Sony, da Barnes & Nobles e até o iPad, da Apple.

O Kindle Wi-Fi se conecta à internet por meio de redes sem fio, mas não tem conectividade 3G, como as versões anteriores do aparelho da Amazon.

O maior varejista online do mundo e líder do mercado de e-readers também revelou a terceira geração do Kindle clássico, 21% menor e 15% mais leve que a versão anterior. Mesmo com a evolução, o preço se manteve o mesmo: US$ 189.

A Amazon, ao contrário da Apple - que afirmou ter vendido 3,3 milhões de iPads desde o lançamento -, não revela números. Mas disse que as vendas do Kindle triplicaram depois que o aparelho teve o preço reduzido, de US$ 259 para US$ 189, e que seus livros virtuais estavam vendendo mais que os de papel.

As fabricantes de e-reader entraram numa disputa pelo mercado, reduzindo os preços, desde que a Barnes & Noble baixou o preço do seu Nook para US$ 199, o que fez com que a Amazon baixasse em seguida o preço do Kindle para o valor atual.

A ideia é competir com o iPad - que, mesmo não sendo essencialmente um leitor de e-books, acaba atingindo o público que quer livros digitais. O alto preço do iPad, que não sai por menos de US$ 499 em sua versão mais modesta, não parece ser um problema para os consumidores.

Leitores casuais. Quando o Kindle foi lançado, em 2007, o CEO da Amazon, Jeff Bezos, disse que era um aparelho para quem viajava muito ou lia muitos livros ao mesmo tempo. Hoje, com o corte de preços, ele parece esperar que seu e-reader atinja também leitores casuais. "Por US$ 139, se você vai ler na beira da piscina, tem gente que gasta mais que isso em um maiô e óculos de natação", disse, na coletiva de lançamento dos novos Kindles.

"A Amazon está certa ao dizer que chegou para ficar neste mercado de aparelhos", destaca o analista da Forrester, James McQuivey.

Apesar dos pedidos de consumidores por um Kindle com tela colorida e sensível ao toque, Bezos disse que não vê isso acontecendo. As tecnologias atuais de tela sensível ao toque fazem a tela ficar muito reflexiva e brilhante, o que pode atrapalhar a leitura. / COM AGÊNCIAS

Estratégia

JEFF BEZOS PRESIDENTE DA AMAZON

"Por US$ 139, se você vai ler na beira da piscina, tem gente que gasta mais do que isso em um maiô e óculos de natação"

JAMES MCQUIVEY ANALISTA DA FORRESTER

"A Amazon está certa ao dizer que chegou para ficar neste mercado de aparelhos"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.