Dado Ruvi/Reuters
Dado Ruvi/Reuters

Amazon planeja abrir lojas de departamento nos Estados Unidos

Não foi divulgado ainda quais marcas serão oferecidas nas unidades, mas produtos de marca própria devem ter destaque

Redação

19 de agosto de 2021 | 11h12

NOVA YORK - A Amazon planeja abrir vários grandes locais físicos de varejo nos Estados Unidos que funcionarão como lojas de departamento, em um movimento para ajudar a empresa de tecnologia a estender seu alcance nas vendas de roupas, utensílios domésticos, eletrônicos e outras áreas, segundo disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

As primeiras lojas devem ser abertas nos Estados de Ohio e Califórnia. Os novos espaços de varejo terão cerca de 2,7 mil metros quadrados, menores do que a maioria das lojas convencionais, e vão oferecer itens das principais marcas de consumo.

Logo após a abertura das Bolsas de Valores de Nova York nesta quinta-feira, 19, as ações da companhia iam na contramão do tom negativo geral e subiam 0,20%.

Não está claro quais marcas serão oferecidas, embora os produtos de marca própria da empresa devam ter destaque, disseram as fontes. A Amazon vende produtos como roupas, móveis, baterias e dispositivos eletrônicos por meio de muitas de suas próprias marcas. Os planos, porém, ainda não são definitivos e podem mudar.

A expansão para o novo modelo permitirá à Amazon oferecer aos consumidores uma variedade de itens que eles poderiam experimentar pessoalmente antes de decidirem pela compra. Isso seria particularmente benéfico no setor de vestuário. Também daria aos clientes uma gratificação ainda mais instantânea do que o envio rápido oferecido pela Amazon para compras online.

A Amazon abriu sua primeira loja física em 2015, uma livraria em Seattle. A companhia tentou diferenciar as lojas dos concorrentes, concedendo descontos aos clientes do Amazon Prime, oferecendo seus próprios dispositivos para teste e venda e criando uma seleção de livros com base em um sistema de classificação. / DOW JONES NESWIRES

Tudo o que sabemos sobre:
Amazoncomércio eletrônicovarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.