Reuters
Reuters

Amazon quer pessoas comuns para entregas

A Amazon listaria empresas varejistas tradicionais em áreas urbanas para estocar os pacotes, provavelmente alugando os espaços ou pagando uma taxa por pacote, noticiou o jornal, citando fontes com conhecimento do assunto. O prazo da companhia para lançar o serviço, conhecido internamente como "On My Way" ("No meu caminho"), não pôde ser revelado, disse o jornal.

O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2015 | 02h02

A Amazon está desenvolvendo um aplicativo móvel que tem como proposta pagar pessoas comuns, em vez de empresas de correio, para entregar pacotes. Os portadores fariam o trabalho enquanto estão a caminho de outros destinos. As informações são do Wall Street Journal.

O serviço poderia dar à Amazon mais controle sobre a experiência de compra e ajudar a limitar custos de envio, adicionou a reportagem.Os custos de envio da gigante de comércio eletrônico subiram 31% em 2014, acima do crescimento das vendas de 19,5%.

A Amazon não foi imediatamente encontrada para comentar o assunto.Em março, a empresa lançou uma plataforma de serviços para casas com a meta de conectar clientes com eletricistas, encanadores e pintores. Por meio da Amazon Home Services, clientes americanos podem contratar 700 serviços, como jardinagem, manutenção automotiva, montagem de TVs em paredes, aulas de música e faxinas. (Com agências internacionais).

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Amazon

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.