finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Amazonas foi o Estado com maior alta do PIB em 2005

O Estado do Amazonas registrou um crescimento de 10,2% em seu PIB em 2005, a maior alta entre as 27 unidades da Federação, segundo pesquisa divulgada hoje pelo IBGE. A participação do Estado no total do PIB nacional, no entanto, ficou inalterada em 1,6% entre 2004 e 2005.O gerente de contas regionais do IBGE, Frederico Cunha, explicou que o Amazonas registrou o melhor desempenho entre os Estados em 2005 baseado no crescimento da indústria, que representa 44% da economia local e teve expansão de 10% em relação ao ano anterior, puxada pelo segmento de eletroeletrônicos e comunicações.O pior desempenho do PIB em 2005 ficou com o Rio Grande do Sul, com queda de 2,8%. Contribuiu para esse resultado a queda expressiva na agropecuária (-17,3%), que teve efeitos na indústria de transformação (-4,2%). Com o recuo, o PIB gaúcho diminuiu em 2005 a participação no PIB nacional para 6,7%, ante 7,1% em 2004. BebidasA atividade de alimentos e bebidas liderava a participação entre os setores da indústria nacional de transformação em 2005. O segmento representava 16,1% do PIB industrial do País. Das 27 unidades da Federação, 17 tinham em alimentos e bebidas o gênero mais importante. Na seqüência, no ranking, apareciam fabricação de aço e derivados (7,6%), produtos de metal (6,0%), máquinas e equipamentos (5,7%) e peças e acessórios para veículos automotores (5,1%).InformaçãoApenas cinco Estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná) concentravam, em 2005, cerca de 75% do PIB do setor de Serviços de Informação (telecomunicações, televisão, cinema, provedores).Apenas o Estado de São Paulo detinha, sozinho, 42,3% do total de Serviços de Informação do País. No segundo lugar no ranking de fatias desse setor, em 2005, estavam o Rio de Janeiro (15,0%), seguido de Minas Gerais (8,3%), Rio Grande do Sul (4,9%) e Paraná (4,4%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.