Ambac anuncia prejuízo com crise nos EUA e prejudica bolsas

Segunda maior seguradora de bônus dos Estados Unidos divulga perdas de US$ 1,66 bilhão no trimestre

Agência Estado,

23 de abril de 2008 | 09h34

A Ambac Financial Group, segunda maior seguradora de bônus dos Estados Unidos, entrou no vermelho no primeiro trimestre, afetada pela crise de crédito no país. A companhia registrou prejuízo de US$ 1,66 bilhão, ou US$ 11,69 por ação, comparado a um lucro líquido de US$ 213,3 milhões, ou US$ 2,02 por ação, no mesmo período do ano passado. O resultado levou a uma queda de mais de 8% nas ações da empresa e inverteu o sinal das bolsas no exterior, que caem.  Veja também:UBS vai reduzir unidade de banco de investimento após criseCronologia da crise financeira  Entenda a crise nos Estados Unidos   Em Londres, alguns traders citam preocupações com revelações de novas baixas contábeis pelos bancos para justificar o movimento, enquanto outros apontam para a divulgação de alguns fracos balanços nos EUA, como o prejuízo da Ambac. No pré-mercado, as ações da Ambac caíram 8,8%, ajudando a influenciar negativamente os futuros de Nova York. Às 8h38 (de Brasília), o futuro S&P 500 cedia 0,19% e o Nasdaq recuava 0,11%. Londres operava em baixa de 0,60%, enquanto Frankfurt perdia 0,62% e Paris caía 0,07%.  A média das estimativas de analistas consultados pela Thomson Reuters era de prejuízo de US$ 1,51 por ação. Às 8h16 (de Brasília), as ações da Ambac desabavam 8,79% no pré-mercado da Bolsa de Nova York, para US$ 5,50. A companhia registrou perdas de US$ 1,73 bilhão em obrigações de dívida colateralizada (CDOs), mais US$ 292,2 milhões em prejuízos da carteira e de outros investimentos e US$ 1,04 bilhão em provisões para perdas. A receita, que inclui muitas das perdas de investimento, ficou negativa em US$ 1,56 bilhão. No ano passado, a Ambac havia obtido receita de US$ 461,8 milhões. "Embora consideremos que esses resultados de crédito são desapontadores, continuamos a acreditar que o aumento de capital e as medidas estratégicas tomadas durante o trimestre nos capacitarão a ir além deste mercado de crédito", disse o chairman e executivo-chefe da Ambac, Michael Callen.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.