AmBev diz que vai recorrer de decisão da SDE

A AmBev divulgou nota nesta noite informando que vai recorrer da medida adotada hoje pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), do Ministério da Justiça, que determinou a proibição imediata da comercialização da garrafa de 630 ml. A companhia de bebidas informou que discorda da medida da SDE e apontou que a nota técnica do órgão "se funda em muitas especulações, distantes da realidade e sem qualquer comprovação".A medida preventiva da SDE fixa 10 dias, a contar da notificação, para que a empresa abstenha-se de envasar cervejas nesse tipo de garrafa. A SDE fixou ainda prazo de três meses, a contar da notificação, para que a AmBev recolha do mercado as garrafas que já estão em circulação. A SDE determinou ainda que, até que todas as garrafas em circulação sejam recolhidas, a companhia disponibilize número de fax para que seja utilizado pelas concorrentes quando estas acumularem individualmente uma determinada quantidade de garrafas personalizadas. Nesses casos, as concorrentes poderão solicitar as trocas dessas garrafas à AmBev por garrafas de uso comum. A Ambev terá que fazer essa troca em no máximo 48 horas. A SDE fixou ainda multa diária de R$ 100 mil à AmBev, em caso de descumprimento da medida preventiva, que fica valendo até decisão final da secretaria sobre o processo administrativo instaurado hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.