AmBev inaugura fábrica de vidros no Rio de Janeiro

Fábrica recebeu investimentos de R$ 160 milhões e vai produzir garrafas long neck para cerveja

Alberto Komatsu, O Estadao de S.Paulo

17 de abril de 2008 | 00h00

Com investimento de R$ 160 milhões, a AmBev inaugurou ontem sua primeira fábrica de embalagem de vidro em Campo Grande, zona oeste do Rio. A unidade será responsável pela fabricação de garrafas de cerveja long neck, com capacidade para 1 milhão de unidades por dia. Estão sendo criados 300 empregos diretos. De acordo com o diretor de relações corporativas da AmBev, Milton Seligman, a nova fábrica vai atender cerca de 50% da necessidade de vidro da AmBev. O governo do Rio concedeu incentivo fiscal correspondente a 5% do investimento total, em parcelamento do ICMS, para a construção da fábrica. "Na indústria de bebidas tem investimentos acontecendo. Tem uma carteira grande, que o Julio Bueno (secretário estadual de Desenvolvimento do Rio) pode informar melhor, mas que graças a Deus está vindo para o Rio. E tem algumas boas brigas internacionais", afirmou o governador do Rio, Sérgio Cabral, presente no evento. Seligman afirmou que o investimento realizado pela AmBev na fábrica de vidros é 100% de capital próprio, lembrando que essa unidade faz parte da estratégia da companhia de partir para a produção própria em itens estratégicos para a empresa, como foi feito com o malte e concentrados de refrigerantes. "Não é nossa primeira experiência de verticalização e nem vamos parar por aqui", disse Seligman, sem revelar qual seria a próxima área em que a AmBev pretende partir para a produção própria. No início deste mês, duas associações de do setor de bebidas (Abrabe e Afebras) pediram à Secretaria de Direito Econômico uma investigação sobre um suposto abuso de concorrência da AmBev. O motivo é a garrafa de cerveja de 630 ml com o logotipo da companhia estampado no vidro.As associações alegaram que todas as fabricantes usam as garrafas de 600 ml, que são intercambiáveis. A AmBev informa que essa garrafa com sua logomarca só será usada no Rio, nas garrafas da Skol. "É argumento de quem perdeu mercado e está chateado", afirma Seligman. Também participaram da inauguração o co-presidente do conselho de administração da AmBev, Victorio de Marchi, e o presidente da empresa Luiz Fernando Edmond.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.