coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Ambiente da AL afetará resultado da Monsanto

A Monsanto Company anunciou que está tomando medidas adicionais para reduzir o risco na América Latina devido ao prolongamento das incertezas econômicas e de mercado na região. A companhia disse em comunicado que, por causa dessas alterações, está reduzindo a previsão de lucro por ação para o segundo trimestre e para todo o ano de 2002 e 2003. As condições desfavoráveis de mercado nos setores agrícolas da América Latina continuam afetando as vendas da Monsanto na região.A companhia está implementando planos para melhorar seu desempenho nos mercados de herbicidas e de semente de milho, além de tentar manter sua posição de liderança, diz a nota. A empresa reduzirá o seu capital de giro no Brasil e Argentina e, devido às condições de mercado na Argentina, a Monsanto exercerá o seu direito de usar produtos com garantia para quitar recebíveis. Essas ações destinam-se a reduzir de forma significativa a exposição ao risco de crédito da companhia e o capital de giro no Brasil e Argentina em 2002.Dessa forma, a Monsanto reduziu a estimativa de lucro para o segundo trimestre entre US$ 1,10 e US$ 1,15 por ação, cortando também a projeção no ano fiscal de 2002 para US$ 1,50 por ação. A previsão para o lucro por ação em 2003 fica entre US$ 1,90 e US$ 2,05. A empresa disse que as condições na América Latina afetarão o lucro no segundo trimestre em US$ 0,10 por ação, enquanto o clima úmido nos EUA, que adiou a temporada de plantação de milho e semente de soja, terá um impacto de US$ 0,20 por ação no lucro do segundo para o terceiro trimestre.A redução na estimativa exclui uma reserva de US$ 120 milhões a US$ 150 milhões criada para possíveis contas não recebíveis na Argentina. As estimativas para todo o ano também excluem esses itens, mas incluem qualquer medida que a companhia adote para reduzir o risco na América Latina. Pesquisa feita pela Thomson Financial/First Call apresenta uma estimativa de lucro por ação de US$ 1,37 no segundo trimestre, de US$ 2,01 em 2002 e US$ 2,22 no ano fiscal de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.