Ameaça da UE de questionar Proálcool é normal, diz Camex

O secretário-executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex), Robério Silva, considerou normal a ameaça da União Européia de questionar o Programa Brasileiro do Álcool (Proálcool) na Organização Mundial de Comércio (OMC), em retaliação contra a decisão brasileira de questionar os subsídios europeus à produção de açúcar. Segundo ele, mesmo que a União Européia tenha dados para questionar o Proálcool, o Brasil tem condições de refutá-los. ?Não temos nada a esconder em relação ao Proálcool. Temos certeza de que o programa não significa subsídios cruzados à produção açucareira?, afirmou Robério Silva. A decisão de iniciar o processo de consultas com a União Européia foi tomada na semana passada pela Camex. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sergio Amaral, preferiu não comentar a ameaça da UE. Ele disse não ter ainda nenhuma informação oficial sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.