Ameaça de atentado nos EUA afeta mercado brasileiro

A elevação do nível de alerta contra terrorismo nos Estados Unidos para "laranja" - penúltimo nível até o de alerta máximo- acabou se sobrepondo à notícia da nova meta de superávit primário do Brasil, de 4,25% este ano. A bolsa paulista acompanhou o mercado norte-americano e fechou em baixa de 1,75%, com volume financeiro de R$ 385 milhões. Apenas seis ações do Ibovespa fecharam em altaJá o mercado de câmbio foi favorecido pela captação de US$ 150 milhões do Bradesco e a rolagem de 54,2% do vencimento de US$ 2,502 bilhões de títulos e contratos da dívida em dólar. O dólar comercial, que caiu até 1,11%, a R$ 3,552, fechou com ligeira baixa de 0,06%, a R$ 3,59.No mercado monetário, as apostas continuam pela alta dos juros, mesmo com o anúncio da nova meta de superávit primário. A preocupação com a inflação e com os efeitos da guerra no Oriente Médio continuam definindo o rumo dos juros futuros. Os DIs voltaram a subir hoje, expressando esses temores. Ao final do pregão, as taxas projetadas eram as seguintes: DI de julho, 27,85% (contra 27,70% de ontem); DI de abril, 26,65% (26,40%); DI de março, 25,83% (26%); e DI de outubro, 28,58% (28,10%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.