Ameaça de guerra derruba bolsas em todo o mundo

O mercado global sucumbiu hoje a notícias corporativas ruins e ao temor da guerra dos Estados Unidos contra o Iraque. As bolsas despencaram na Europa e apresentavam, até as 18 horas, desempenho ruim em Nova York. A bolsa paulista fechou em baixa de 3,05%, com volume de R$ 479 milhões.Empresas dos setores de telecomunicações, seguros e automobilístico foram fortemente afetadas por alertas e comunicados negativos. Em consequência deste noticiário pesado, a Bolsa de Frankfurt despencou 4,32%, Paris caiu 3,19% e Londres recuou 2,69%.O mercado mundial aguarda com ansiedade o discurso desta quarta-feira do secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, que promete mostrar mais "indícios" de que o Iraque não teria se desarmado.No Brasil, o dólar operou em alta o dia todo, interrompendo a sequência de quatro dias úteis em baixa. O câmbio comercial fechou na máxima do dia, cotado a R$ 3,57, com ganho de 1,56%. No mercado de títulos da dívida, às 18h05, o C-Bond era negociado em baixa de 0,89%, a 69,250 centavos de dólar; e o Risco Brasil subia 38 pontos, para 1.335 pontos base.O mercado de juros também foi influenciado pelo temor da guerra e teve um dia de altas importantes nos contratos de DI. O contrato de julho, o mais negociado, encerrou o período com taxa de 27,27%, ante 26,98% de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.