América Central e UE iniciam negociação política e econômica

Regiões buscam fortalecer as relações bilaterais e o desenvolvimento dos países centro-americanos

Efe

23 de outubro de 2007 | 04h17

América Central e a União Européia (UE) começaram na segunda-feira, 22, na Costa Rica, a primeira rodada de negociações para um acordo de associação, procurando fortalecer as relações bilaterais e o desenvolvimento dos países centro-americanos.   O diretor adjunto da direção geral de relações exteriores da Comunidade Européia, o português João Aguiar Machado, declarou na abertura do encontro que o principal objetivo da UE é fortalecer a integração centro-americana.   "Para nós o acordo de associação não é uma questão de lucro econômico e busca de mercados, porque os melhores mercados estão em outras regiões. A nossa visão é de criar áreas de estabilidade, desenvolvimento e paz", afirmou, em entrevista coletiva.   O português destacou a "determinação e vontade de fortalecer relações regionais e o compromisso da América Central de avançar e aprofundar sua integração".   Para Aguiar, o Tratado de Livre-Comércio (TLC) incluído no Acordo de Associação não é o principal objetivo das regiões. O diálogo político e a cooperação serão fundamentais para o desenvolvimento, analisou.   "A União Européia tem um ânimo construtivo, com a finalidade de conseguir um acordo equilibrado, que beneficie as duas partes e seja um ponto de partida para uma nova etapa de ambição política conjunta para a paz e progresso", concluiu.   O chefe negociador da Costa Rica e porta-voz da América Central, Roberto Echandi, destacou os avanços da região para se integrar e se mostrou "satisfeito" com o início das negociações com a UE. "Faço votos para conseguir um acordo a curto prazo que beneficie as duas regiões, com visão integral de desenvolvimento e que não se limite à área comercial, mas incorpore cooperação e diálogo político", afirmou Echandi.   As equipes negociadoras dedicam a primeira rodada, até sexta-feira, 26, a "se conhecer" e trocar pontos de vista sobre a metodologia de trabalho das conversas. No fim, poderão estabelecer uma agenda das próximas reuniões.   Além disso, a UE conhecerá de perto os avanços na união aduaneira centro-americana. A harmonização tarifária da região se encontra em 6%.   As autoridades negociadoras prevêem 10 rodadas de negociação, fechando um acordo no fim de 2008 ou início de 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.