carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

América Latina caminha para recuperação econômica, diz FGV

Pesquisa mostra melhora nas expectativas para a região após processo recessivo iniciado pela crise mundial

ALESSANDRA SARAIVA, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 08h48

O "fundo do poço" da crise global já passou, e agora a economia latino-americana, seguida pela economia mundial, estariam caminhando para uma recuperação, segundo a Sondagem Econômica da América Latina, feita em parceria pelo Institute for Economic Research at the University of Munich (Instituto Ifo) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgada nesta terça-feira, 19. 

 

Impulsionado por uma melhora nas expectativas, o clima econômico na América Latina melhorou em abril deste ano e atingiu o nível de 3,6 pontos no mês passado, acima do desempenho de 2,9 pontos no último resultado do levantamento, divulgado em janeiro, e que tinha sido o pior nível da série histórica da pesquisa, iniciada em 1990.

Em relação a janeiro, houve piora da avaliação sobre o presente e melhora das expectativas para os meses seguintes. Na passagem de janeiro para abril deste ano, o Índice de Expectativas (IE), um dos dois subindicadores que compõem o ICE, avançou de 2,3 pontos para 4,6 pontos, enquanto o Índice da Situação Atual (ISA), outro sub índice do ICE, caiu de 3,4 pontos para 2,5 pontos.

O ICE abaixo de cinco pontos indica "clima ruim" na região. Entretanto, a FGV e o instituto IFO consideram que o avanço do IE entre janeiro e abril está atingindo um nível próximo ao da linha divisória entre pessimismo e otimismo, o que poderia sinalizar que a região estaria se encaminhando para a recuperação.

A sondagem mostra que, assim como o ICE da América Latina subiu para 3,6 pontos em abril, após registrar taxa de 2,9 pontos em janeiro, o ICE da economia mundial também melhorou, e cresceu para 3,6 pontos em abril após ter desempenho de 2,8 pontos em janeiro deste ano.

 

Na análise das duas instituições, a economia mundial já estaria saindo, em abril, da fase recessiva, iniciada em julho de 2008. No caso da economia latino-americana, esta só começou a mostrar sinais de recessão em outubro do ano passado - mas também apresentaria sinais de recuperação, em abril deste ano.

Na América Latina, com exceção da Argentina, Bolívia, Uruguai e Venezuela, todos os países apresentaram um ICE maior em abril, ante janeiro deste ano. Entretanto, todos os países continuam com cenário econômico ainda insatisfatório ou ruim.

A Sondagem Econômica da América Latina serve ao monitoramento e à antecipação de tendências econômicas, com base em informações prestadas trimestralmente por especialistas nas economias de seus respectivos países. A pesquisa é aplicada com a mesma metodologia - simultaneamente - em todos os países da região. Em janeiro, foram consultados 136 especialistas em 16 países.

Tudo o que sabemos sobre:
criseconfiançaFGVInstituto Ifo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.